quinta-feira, 20 de dezembro de 2007

Águia ferida

SENHOR

Já me joguei nas correntes do vento,voei alto.

Voei pela fé,como uma águia se joga do penhasco nas correntes de vento que não se vê ,mas que se sabe por instinto que existe.

Abri as minhas asas, passei pelo penhasco, fui sustentado pela fé,com as asas da fé me erguia e me sustentava no invisível.Nesta época as flechas não me feriam,passei ileso pelo vale tenebroso.

Porém não fui humilde para ver o quanto fui(sou) sustentado pela fé,fiquei egoísta e uma flecha ultrapassou minha asa.

Aguardo que a ferida se cicatrize logo,quero me jogar novamente nas correntes de vento da fé e voar novamente como uma águia.

A asa ferida não cauteriza um coração de águia,só preciso apreender a voar novamente para traçar as melhores presas e quando conseguir subir o penhasco pela fé não voltar mais a descer abaixo dele.Pois uma águia sempre voa alto,e voa pelo vento da FÉ.



Nenhum comentário: